Local

Vereadora Lurdinha Granzotte é advertida sobre participação em protesto antidemocrático

A vereadora Lurdinha Granzotte (PSL) foi advertida pelo Conselho de Ética e Decoro Parlamentar da Câmara Municipal de Franca por sua participação em um protesto antidemocrático realizado no mês passado. As duas representações contra a parlamentar foram arquivadas. O relatório final foi lido na sessão ordinária desta terça-feira, 20. A vereadora respondia a três denúncias por sua participação no protesto realizado no dia 15 de março. Na ocasião, dezenas de pessoas se reuniram pedindo intervenção militar no STF (Supremo Tribunal Federal), além de criticarem o governador do Estado de São Paulo, João Dória. No dia do protesto a vereadora chegou a discursar afirmando que o Congresso Nacional deveria ser fechado.

“Ás vezes querem que a gente trate a coisa com sangue nos olhos, na questão ideológica, quer que trate as coisas com relação ao posicionamento político de cada um aqui dentro da Câmara Municipal. Mas quando a gente faz parte de um Conselho e, principalmente, preside um Conselho a gente tem que cumprir estritamente o que a lei determina, o que o código de Ética da Câmara Municipal determina. E nós, tiramos o parâmetro de fazer tudo dentro ordenamento legal e sempre com parecer jurídico da casa. Então não é uma opinião pessoal, é o que consta na lei e o que consta na ética”, disse o presidente do Conselho de Ética, Gilson Pelizaro (PT). “Então, da forma clara e competente que foi colocada no relatório, a penalidade que cabe é a que foi colocada a princípio.”

O relatório final entregue e lido em plenário hoje foi assinado pelos três vereadores que integram o Conselho: Gilson Pelizaro e também Marcelo Tidy (DEM) e Zezinho Cabeleireiro (PP). “Sempre acompanhei o seu trabalho dentro da Prefeitura Municipal. Foi um momento emocional, que aconteceu e você está aí começando. Fizemos a nossa parte da Comissão de Ética aplicando a penalidade pelo regimento da lei que temos aqui na Câmara Municipal. Mas continue firme”, disse Zezinho Cabeleireiro para a vereadora. “Mas caso aconteça de cair algo no Conselho de Ética e que a lei oriente determinada punição não vamos nos furtar. Então fica aí o alerta a todos os vereadores”, completou Pelizaro.
Já Marcelo Tidy afirmou que a decisão foi tomada dentro da lei e em nenhum momento a ideologia partidária dos membros do Conselho ou da vereadora foi colocada em questão.

A vereadora Lurdinha Granzotte agradeceu a comissão de Ética. “Primeiramente gostaria de agradecer pela lisura do trabalho feito, tenho certeza que foi dentro da lei, por que vocês são éticos… Sempre que erramos temos que arcar com as consequências, então quero me redimir diante deste acontecimento. Estou de acordo que fui infeliz com a maneira que expressei minhas ideias. Mas a minha intenção foi somente relatar que precisamos de organização, respeito e ordem diante de tudo que nosso país vem vivendo”, disse a parlamentar que agradeceu ainda a Deus e as autoras das representações pelo “puxão de orelha”.

As representações contra a vereadora que foram arquivadas forma movidas por Bruna Barcarollo e Grabiele Hernandez. Segue tramitando uma outra representação contra Lurdinha Granzotte, essa feita pelo advogado Tony Rocha, Adenílson Bueno e Sônia Lúcia da Silva Rodrigues.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo