Religião

Escolha o que é certo!

O livro bíblico de Rute nos apresenta a história de três mulheres: Noemi, Rute e Orfa. Rute e Orfa eram noras de Noemi. Ela perdeu o marido e os dois filhos e consequentemente as três acabaram viúvas. Noemi que era estrangeira, decidiu deixar as noras e voltar para sua terra Natal. Mas Rute quis segui-la, e assim nasceu a declaração de amor mais bonita da Bíblia:

Não me force a abandoná-la. Não me faça voltar para casa. Aonde você for, eu também irei. Onde você viver, eu viverei. O seu povo será meu povo, e o seu Deus, o meu Deus. Onde você morrer, eu também morrerei, e ali serei sepultada. Que o Eterno me ajude, nem a morte nos separará!”

A tradição da época definia que a família de um homem falecido sem filhos era responsável pela viúva, lhes cabendo o dever de dar suporte a essa mulher ou lhe garantir um “remidor”. O remidor assumia o compromisso de se casar com a viúva, e poderia ser um cunhado ou qualquer parente mais próximo do falecido, à exceção do próprio sogro. Noemi, por estar distante de sua família e de um parente que pudesse honrar essa tradição, achou por bem liberar as noras de qualquer compromisso. Orfa aceitou a liberação, mas Rute seguiu Noemi até o fim.

Para Rute, deixar de estar com Noemi não era opção. Ela assumira um compromisso e estava disposta a arcar com as consequências de sua escolha. Não sabemos ao certo qual seria o destino de Rute se ela tivesse desistido. Talvez ela não tivesse uma opção melhor, talvez nem tivesse opção! Escolher o que é certo não depende das opções que temos. Escolher fazer o que é certo depende apenas do nosso caráter.

O livro de Rute nos mostra as duas faces da mesma moeda: Para Noemi, dispensar as noras parecia sensato, mas era errado! Ela tinha um dever a cumprir e achou que se omitir ajudaria as noras. Rute, no entanto, sabia de seus direitos e de seus deveres e baseada em sua boa consciência preferiu seguir a Noemi. Lendo a narrativa completa do livro aprenderemos que a perseverança recompensou a Rute.

E o que aconteceu com Orfa? Ela preferiu retomar sua velha vida. Ela escolheu o que parecia mais fácil e certo. Não sabemos se isso redundou em benefícios, provavelmente sim; talvez ela tenha arranjado um bom casamento, tido filhos e tudo mais que ansiava ter. No entanto, sabemos que a perseverança e a obediência de Rute a levaram a fazer parte da genealogia de Jesus, o Salvador da humanidade! A obediência de Rute marcou seu nome na História!

Nem sempre escolher o que é certo parece ser o melhor. Nem sempre a obediência a Deus nos premiará com a benção instantânea – na verdade, isso quase nunca acontece, ser abençoado é um processo… Às vezes, abrir mão de um direito pode parecer o mais sensato. Mas precisamos ter em mente que o certo é certo ainda quando o errado impera e que a perseverança e a fé sempre nos levarão a um bem maior.

André Moreira

É casado com a Ana, pai da Mariana e membro da Igreja da Cidade em Pindamonhangaba. É teólogo, filósofo, historiador e especialista em Administração e Teologia Pastoral. Autor do livro "Religiões Comparadas", publicado pelo Ibad. Leciona disciplinas como Hermenêutica, História da Teologia e Ecumenismo na Fabad. Instagram: @leal_e_moreira.

5 Comentários

  1. Texto deveras… revigorante, alentador, inspirador e nos ajuda a ver o mundo (e a tomada de decisões) de uma forma mais simples, mais tranquila. Deus nos proporciona a tais atitudes.
    Se fácil ou difícil, vai depender do grau da nossa intimidade com Deus!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos relacionados

Verifique também
Fechar
Botão Voltar ao topo