Brasil em ObrasColunas

Férias de verão e feriados de fim de ano estão bombando

Boletim Mensal da Braztoa também registrou crescente faturamento das operadoras de turismo

Faltando mais de um mês para o início do verão, a temporada promete ser intensa. É o que revela o Boletim Mensal da Associação Brasileira das Operadoras de Turismo (Braztoa), divulgado na quinta-feira (18/11). Segundo o estudo, as férias de verão e os feriados de Natal e Réveillon foram responsáveis por 40,4% das vendas de outubro. Também foi registrado uma forte procura pelo próximo feriado de Carnaval, celebrado em março de 2022.

O levantamento mostra ainda que 93% das operadoras de turismo vêm registrando aumento contínuo no faturamento. Além disso, 52% das operadoras alcançaram 50% do faturamento anterior à crise sanitária de Covid-19, sendo que 21% já ultrapassou esse índice. Acesse o Boletim aqui.

Para o ministro do Turismo, Gilson Machado Neto, os números tendem a aumentar com a aproximação das festas de fim ano. “Estamos acompanhando os índices crescentes de atividades turísticas como os setores aéreo, rodoviário, hoteleiro e, agora, dos operadores de turismo. Este verão será um marco da retomada do turismo em nosso país, setor tão importante para geração de emprego e desenvolvimento”, destacou.

Bora, viajar

Os destinos de sol e praia continuam sendo os mais buscados, principalmente com a chegada do verão, mas os atrativos de luxo, resorts, viagens de inverno, ecoturismo e turismo rural também ganharam espaço e aparecem na lista de desejos dos viajantes.

O mercado nacional, por sua vez, representa a maior parcela das comercializações de outubro. No ranking dos destinos, Gramado (RS) lidera a lista, seguido por Natal e Salvador na segunda colocação, e Fortaleza, Maceió e Rio de Janeiro em terceiro lugar. Já Bonito (MS), Jalapão (TO) e São Luís (MA) então entre os destinos com crescimento expressivo nas buscas de viagens no período.

O coordenador-geral de Dados e Informações, Elton Medeiros, representou o Ministério do Turismo durante apresentação do boletim nesta quinta-feira e pontuou as principais tendências reveladas pelo estudo. “É fato que as viagens domésticas entraram de vez para a cesta de produtos dos turistas nacionais. Além disso, percebemos uma forte tendência para viagens compradas com pouca antecedência, principalmente para destinos próximos e não convencionais. Cidades do interior estão sendo mais procuradas, assim como destinos de natureza”, comentou.

Segundo o boletim, um quarto das vendas foram para embarque no próprio mês e 63% terão embarques ainda em 2021. Outros 30% foram para o 1º semestre 2022 e apenas 6% das viagens contam com planejamento a longo prazo e se realizarão no 2º semestre do próximo ano ou depois.

Cruzeiros

O Boletim Mensal da Braztoa apontou que os Cruzeiros Marítimos representam 15% das vendas para o Carnaval, 12% para o Réveillon e 11% para o Natal.

Com protocolos robustos e experiências que oferecem transporte, hospedagem, alimentação e entretenimento em uma única viagem, a navegação vem ganhando força entre as opções escolhidas pelas pessoas e volta às vitrines de agências e operadoras, que representam 90% das vendas desse tipo de turismo.

Observatório

O Ministério do Turismo lançou, no início do mês de novembro, o Observatório Nacional de Turismo. O espaço, desenvolvido pela Coordenação-Geral de Dados e Informações, reúne informações trabalhadas pela Pasta e apresenta-as aos usuários por meio de publicações, painéis, indicadores e anuários estatísticos.

A grande novidade são os painéis interativos, que trazem dois perfis de consulta: “Ocupações formais do setor de turismo no Brasil” e “Perfil socioeconômico das ocupações do setor de turismo no Brasil”. O primeiro, por exemplo, possibilita que os dados sejam filtrados por atividade do setor, ano, região e obtenha informações como o número de trabalhadores formais, a remuneração média do turismo e o cenário em cada uma das regiões do país.

Acesse aqui o Observatório.

R$ 326 bilhões do FGTS para habitação, saneamento e infraestrutura

Valores foram aprovados pelo Conselho Curador do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço em reunião on-line na quinta-feira (18/11).

Foto de Adalberto Marques/MDR

Foi aprovado o orçamento operacional do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) para o ano 2022, além do plano plurianual de aplicação para o período de 2023 a 2025. Serão disponibilizados, nos próximos quatro anos, mais de R$ 326 bilhões para a contratação de projetos nas áreas de habitação, saneamento básico e infraestrutura urbana. As propostas foram encaminhadas pelo Governo Federal, por meio do Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR), que é o gestor da aplicação dos recursos do Fundo, e referendadas pelo Conselho Curador do FGTS durante a 182ª Reunião Ordinária do colegiado.

A projeção é que o aporte possibilite, até 2025, a construção de 2,5 milhões de unidades habitacionais por meio do Programa Casa Verde e Amarela, além de beneficiar quase 56 milhões de brasileiros com obras de saneamento e infraestrutura urbana. Também há a expectativa de manutenção e geração de 7,4 milhões de empregos por todo o Brasil.

O investimento previsto vai promover benefícios para a população, com a entrega de moradias e obras que melhoram a qualidade de vida e, ao mesmo tempo, estimular a atividade econômica.

“O FGTS é uma fonte importantíssima para a construção civil, que foi um setor que se manteve ativo mesmo durante a pandemia e que representa um percentual expressivo do PIB”, afirma. “É importante ressaltar a importância do setor para a economia e, consequentemente, a importância do FGTS para o PIB do país e para a geração de empregos, na medida em que fomenta a construção, tanto nas áreas de habitação popular quanto de saneamento e infraestrutura urbana”, completa o conselheiro Daniel Ferreira.

Financiamento habitacional

Do total previsto até 2025, R$ 278 bilhões serão destinados a financiamentos para a construção de novas residências. Outros R$ 34 bilhões serão disponibilizados para a concessão de descontos nos financiamentos para a aquisição da casa própria a pessoas físicas com renda familiar mensal de até R$ 4 mil – um incremento de R$ 4,5 bilhões para essa modalidade. Já as obras de saneamento poderão captar até R$ 19,7 bilhões, enquanto R$ 25,2 bilhões serão voltados a empreendimentos de infraestrutura urbana.

Em 2022, o orçamento operacional aprovado é de R$ 75,4 bilhões para a contratação de obras e de mais R$ 8,5 bilhões em subsídios para a aquisição de moradias.

Transparência

Durante a 182ª Reunião Ordinária do Conselho Curador do FGTS, o Ministério do Desenvolvimento Regional também anunciou a disponibilização de um novo painel de informações para acompanhamento da gestão da aplicação dos recursos do FGTS.

A ferramenta de business inteligente (BI) está neste link, disponibilizando informações sobre o Painel de Execução Orçamentária do FGTS, com dados históricos e atuais sobre o orçamento, a execução dos recursos e a carteira de operações contratadas com mutuários públicos e privados; Habitação – Pessoas Físicas, e Indicadores Econômicos do Fundo, que contém dados sobre ativo, passivo, patrimônio líquido, disponibilidades, arrecadação e saques do FGTS, dentre outras.

Integração de bacias hidrográficas

A ação tem o objetivo de realizar a avaliação estratégica integrada e planejar intervenções hídricas.

O Governo Federal, por meio do Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR), está com inscrições abertas para o edital de seleção de consultoria para a realização de estudos com o objetivo de identificar as infraestruturas hídricas necessárias para a garantia do desenvolvimento sustentável nas bacias hidrográficas do Maranhão, do Piauí e dos demais estados do Nordeste. Interessados em participar da seleção podem apresentar proposta até as 10h do dia 13 de dezembro.

Com investimentos federais de R$ 9 milhões, a ação tem o objetivo de realizar a avaliação estratégica integrada e planejar intervenções hídricas necessárias para o desenvolvimento sustentável nas bacias dos rios São Francisco, Parnaíba, Araguaia-Tocantins, Munim, Itapecuru, Mearim e na área do Projeto de Integração do Rio São Francisco. Serão avaliadas as necessidades e as oportunidades de integração das bacias, visando garantir o acesso à água para as gerações futuras, possibilitando que a água doce da região seja redistribuída de forma mais planejada.

Veja mais: https://youtu.be/De-XG2dnQv4

Joia mais valiosa

O impacto positivo que a integração dessas bacias terá para as populações que vivem na região.

Crédito: CBHSF(cbhsaofrancisco.org.br)

“O desvio dos cursos d’água, a transposição de bacias, a outorga de forma inteligente são instrumentos utilizados há milênios na humanidade para mudar a realidade de determinadas regiões do mundo”, afirma Marinho. “A água é mais importante que o petróleo, que o minério. A água doce de qualidade é o bem mais importante da humanidade. As bacias hidrográficas, interligadas e integradas, vão dar segurança hídrica àquela parte do Norte que permeia o Maranhão, ao Nordeste e a parte do Centro-Oeste”, destacou o Ministro Marinho.

O estudo será realizado por meio da Secretaria Nacional de Segurança Hídrica do MDR e da Agência Nacional de Águas e Saneamento Básico (ANA). Será verificada toda a infraestrutura necessária para atender às demandas hídricas das regiões com escassez e que não têm soluções já identificadas para o problema.

Acesso ao edital. É dar um control + clique e, já era!!!

Carlus do Brasil

É fazendeiro e preocupado com o futuro do País

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos relacionados

Verifique também
Fechar
Botão Voltar ao topo