ColunasVanessa Maranha

Livro novo

O escritor Luiz Cruz de Oliveira, autor de vários livros didáticos e de ficção, acaba de lançar o título “A Semana – O antes e o depois”, pela Ribeirão Gráfica Editora, a propósito dos 100 anos da Semana de Arte Moderna de 1922, que inaugurou o Modernismo no Brasil. Marilurdes Cruz Borges, filha de Luiz Cruz, doutora em Linguística e Língua Portuguesa, co-assina essa obra, que tanto pode ser lida como uma ficção, ao utilizar recursos literários na sua construção, como também, um belo texto de referência para pesquisa e cotações.

Linguagem

Uma escrita sofisticada numa linguagem límpida e fluida, mesclando ensaio e algo da crônica mantém o leitor atento na leitura histórica, desde a gênese, o gérmen do Movimento, que necessariamente passa pela autoria independente e pelo Simbolismo. Segue descrevendo breve e cronologicamente os nomes envolvidos e a importância dos encontros na Villa Kyrial, que teve um papel central para o desenvolvimento de nomes das vanguardas artísticas no Brasil.

Monteiro Lobato

Em um determinado momento da obra, pai e filha discutem a contraposição histórica de Monteiro Lobato a todos os “ismos”, como sendo subservientes, na sua visão, à arte de matriz europeia. Purista e tachado por alguns como reacionário, Lobato defendia uma posição mais autóctone, quase oposta à ideia da antropofagia de Oswald de Andrade. O livro, fruto de uma extensa pesquisa, traz excelentes lampejos para que se possa abordar ampla e analiticamente tudo o que provocou um acontecimento, quase um terremoto, digamos, cultural como a Semana de Arte Moderna e o que ela nos legou. Sobretudo para quem caminha pelas artes, recomendo a leitura!

Centenário

“Como estamos chegando ao centenário da Semana de 22, surgiu um desejo de revisitá-la. Mas não apenas um marco para o início do Modernismo no Brasil e, sim, sobre tudo que motivou o evento e dele resultou. Procuramos deixar claro que é o nosso olhar de hoje sobre a literatura brasileira. Partimos da visão de que desde o princípio houve marcas de brasilidade. Embora hoje haja grande crítica à obra de Monteiro Lobato, é inegável o papel dele não só para a Semana, mas para o modernismo brasileiro. Uma das nossas preocupações era produzir um texto didático que revisitasse a literatura também com uma linguagem poética”, explicou Marilurdes Cruz Borges.

Live de lançamento

Ainda de acordo com ela, “o texto tem como pilar a memória de Luiz Cruz, professor e escritor que durante sua vida leu e estudou muito a literatura brasileira, “depois eu ajudei na escolha dos textos ilustrativos e nas pesquisas sobre a Semana publicada por diferentes autores, de diferentes épocas”, completou Marilurdes. O lançamento do livro será virtual, em live a ser realizada no dia 16/04, às 19h30, por canal a ser informado pela Ribeirão Gráfica e Editora, pelo telefone 3722-8237. O título foi publicado nas versões física e em e-book e pode ser adquirido no site da Ribeirão Gráfica Editora e no sebo Almanaque, em Franca.

Vanessa Maranha

É Psicóloga, Jornalista, Escritora Premiada, colunista da FF.

Um Comentário

  1. Parabenizando Luiz Cruz e sua filha Marilurdes pela brilhante ideia e carpintaria literária de levantar esse tema instigante, a Semana do Modernismo de 22, e discorrer crítica mente corpo espírito, a alma do artista e seu o contexto sociocultural local, regional e global, essencial para esse tempo de transformação que estamos passando no Brasil e no Mundo. O lançamento dia 16/04, às 19h30, estaremos Presente !!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo