ColunasLulu do Canavial

“Velha, eu? Sou Bilu da Terceira idade”

Inhaim?
Estava eu fazendo uma faxina na casa da Dona Ermenegilda Campo Florido quando ela me chamou para tomar café com ela. Rico é assim: quando não tem o que fazer, chama pobre para conversar.

Ela me explicou o que tinha na mesa. Eu entendi “broche”, “Crix”, “Sucrio”, “leite de caixinha” (não era de uma vaca), geleia de fruta vermeia”. A excomungada perguntou minha idade. Falei: 40. A nojenta achou que eu tinha 55. Me fodeu. Meu dia acabou. Eu que durmo com a cara “breiada” de Nivea e quando tô no cadeco uso Creme de Alface Rugol! Limpo minha cara com Leite de Rosas. O algodão sai preto. Duas vezes por semana, eu tiro os “cascão” da cara com borra (eu disse BOR-RA) de café misturada com óleo de cozinha. A pele fica igual bunda de nenê.

A mulher me criticou, tirou sarro. Que isso não usa mais. Disse que eu tinha pé de galinha em volta do “zóio”. Alias, lembrei que hoje eu não tinha tirado o ovo da Rosilda… não falha um dia de botar a minha galinha preferida.

Pois não é que a patroa me deu uma consulta no dermatologista? Me deu 15 anos a mais, e depois uma consulta… Tá, me engana que eu gosto! Falar nisso aquela Ligia Kogos que eu lia na revista Capricho. Cadê ela? Aquela mulher era uma múmia, não envelhece nem a porrete. Pele lisinha. Acho que aquela mulher não tem ruga nem no fiofó…
Semana que vem eu conto minhas perambulações pelo dermatologista.

Luciene Garcia

É jornalista e criadora da personagem Lulu do Canavial.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Artigos relacionados

Verifique também
Fechar
Botão Voltar ao topo