ColunasLulu do Canavial

“Você se lembra do Kichute, Ki-Suco e da bala Soft”?

Inhaim?

Os fantasmas do passado começara a me atormentar. Às vezes eu vejo assombração, mas acredito mais no Padre Quevedo: “esto non exquisiste, É coisa do psico”.
Daí resolvi ligar para a Lolosa e falar das coisas do passado que me deixam com saudade, das décadas passadas. Abrimos uma 51, fritamos uns “torremo” e fui contar pra Lolosa o que me atormentava. Daí comecei a lembrar das décadas de 70 e 80, quando eu era um “chuchu”, moça em flor.

Abri a matraca:

1 – Prato colorex –até então só tinha prato de barro ou de alumínio. Era mania dar de presente de casamento o conjunto de colorex, com sopeira, prato fundo e prato raso.

2 – Kichute – Uma chuteira preta de pano e com pino de borracha na sola. Era para os meninos, mas as “machos-fema” usavam também.

3 – Bobes – Uns conezinhos de plástico que a mulherada enrolava no cabelo e prendia com ramona. Pra fazer cacho e dar volume. Só que a ramona tinha uma proteçãozinha de plástico na ponta que saía na boca quando a gente ia abrir a danada da ramona. Enfiava a ramona no couro cabeludo que saía lágrimas nos olhos de dor.

4 – Calça boca de sino – A rapaziada usava, tipo Elvis, de tergal, um pano que coçava pra cacete. A boca de sino ia arrastando com sapato plataforma. Os homens ficavam uma beleza, principalmente quando o sapato era verde.

5 – Seriado das Panteras – As atrizes eram Jacly Smith (Kelly Garret), Cheryl Ladd (Kris Monroe), Kete Jackson (Sabrina Duncan) e Farah Fawcet (Jill Munroe). Eu queria ser a Farah Fawcet, a loira, com seu cabelo cheio de ondas e corte pigmaleão.

6 – Fita Cassete – Apesar de o nome parecer cacete, era cassete. Ticava no gravador e rodava de um lado e do outro. Gravava 60 minutos, trinta de cada lado. Era o que há.

7 – Revista de fotonovela – Tinha a “Sétimo Céu”, “Meu Romance”, “Contigo”, “Carícia”. Eu dormia com a revista de fotonovela debaixo do travesseiro. Quando tinha uma foto de beijo, eu recortava e colava no caderno de beijos. Colava com cola Tenaz.

8 –Foto Polaroid – Um mergulho e um flash. A foto saía na hora com uma qualidade duvidosa, mas todo mundo sonhava com uma Polaroid. A tataravó da selfie.

9 – Opala – O carrão carregava 5 pessoas, tinha toca-fita e normalmente colocava-se um bonequinho com uma luzinha na traseira que quando apertava o freio ela acendia.

10 – TV com transistor – A televisão era em preto e branco e o transistor umas lâmpadas imensas que ficavam dentro do tubo. Era só levar no homem que consertava na esquina. Queimava transistor que era um inferno.

11 – Neutrox – Condicionador de cabelo, amarelo, de tampa vermelha. O trem era tão bão pra desembaraçar que caíam tufos de cabelo. Não, nunca ninguém ficou careca por causa do Neutrox.

12 – Conga – Um tênis de pano e solado branco que dava um chulé danado.

13 – Bala Soft – Todo mundo ou quase morreu ou conhece alguém que esteve na beira da cova por causa da Bala Soft. Era uma bala redonda imensa que escorregava na boca e ia direto para a garganta do sujeito. Sufocamento.

14 – Cebion – As pastilhas de vitamina C efervescente vinham num tubo. Era jogar na água e subia aqule fumação. Menino adorava ficar com o nariz amarelo de Cebion.

15 – Touca e aplicar cera – Usada pela mulherada. Aplicava creme no cabelo, punha a touca de plástico e ligava na tomada para esquentar. A orelha ficava mais vermelha que papo de peru.

16 – Ki-Suco – Que Tang, que nada. O que mandava mesmo era o Ki-Suco, um refresco em pó que deixava a boca da gente pintada. Tinha moleque que colocava na língua o pozinho para obter cor.

17 – Almíscar selvagem – O perfume era tão forte que colocava um pinguinho em cada orelha e recendia. Também cheirava a maconha.

18 – Walk-man – Aparelhinho em que se colocava a fita-cassete, pequeno, que a gente punha na cintura com um foninho. Hoje seria: “uau, que man”.

Eu e a Lolosa ficamos bêbadas, vomitamos o “torremo” e dormimos na sala. De manhã eu tava zerinha. A Lolosa ficou para trás igual à propaganda da Parmalat: Tomou?

Luciene Garcia

É jornalista e criadora da personagem Lulu do Canavial.

Um Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo