Opiniões

A maior das provas de resistência

Por Eliane Sanches Querino

É comum os participantes de vários reality shows enfrentarem provas de resistência durante os programas. Vale a máxima da sobrevivência do mais forte. Muitos são eliminados pelo sono, pela vontade de ir ao banheiro, pelo cansaço, pela dor física… Nossa, eu sairia por todos esses motivos juntos, certamente. Sempre me julgo frágil, pois sempre fui “café com leite” no jogo dessa vida…

Mas nas provas desses programas há um pessoal cuidando dos participantes por trás da tela. Há desafios, mas é uma SIMULAÇÃO da vida, não se trata da coisa em si. Predomina o SHOW sobre o REALITY. E quem vence vira o líder da semana, tem muitos privilégios.

Então… fico refletindo com meus botões…e essa prova de resistência que impuseram sobre nós? Ninguém vai ganhar 1 milhão e meio no final. No máximo sairemos vivos, talvez mais gordos alguns, mais magros outros, com muitas sequelas físicas e psicológicas, certamente mais pobres, alguns até quebrados. Prova de resistência tem disso?

‘Não nos convidaram para essa festa pobre’ e podre. Foi armada uma emboscada, uma armadilha…  Estamos fazendo enterros sem velórios de madrugada, empilhando corpos de gente querida como se fossem bonecas, usando as vans que antes transportavam estudantes para carregar cadáveres insepultos a aguardar a ‘parte que lhes cabe nesse latifúndio. ’ Mas não encontram a danada da parte que lhes cabe. Se esgotaram as vagas nos cemitérios.   Escavadeiras abrem covas rasas de última hora. Prova de resistência tem disso?

E ainda ouvindo asnices e mais asnices daqueles que deveriam nos acolher e orientar. Que não cuidaram, não planejaram e agora nos fazem esperar pela nossa vez de tomar uma vacina torcendo para que nossa vez chegue antes da nossa morte. E não nos poupam os ouvidos cansados de ouvir suas idiotices e elucubrações patológicas, sempre aplaudidas por claques de puxa sacos e desinformados. Prova de resistência tem disso?

Quem deveria ser sensato e julgar a situação para trazer paz de espírito se deleita em longas catilinárias a  vociferar leis e opiniões que prolongam nossa agonia e desespero por horas a fio. Desenterram todos os tipos de conflitos possíveis: religiosos, políticos, militares, ideológicos e científicos como se já não nos bastassem as 4000 mortes diárias, o colapso do sistema de saúde, o colapso do sistema funerário, a dificuldade de levantarmos a cabeça por cima dessa nuvem negra e sufocante que nos abafa e sufoca. A tal ponto que chegamos a ter vergonha de dar um sorriso, ouvir uma música mais alto, postar uma selfie… Prova de resistência tem disso?

Não há paz, nem perspectiva de haver paz a curto e médio prazo. Abutres e hienas se alimentam desse conflito diário que se tornou a nossa vida no Brasil, agora motivo de desprezo, desdém e às vezes, com sorte, comiseração do mundo inteiro. Nossa imagem e nossa autoestima como brasileiros, sempre os mais amados e queridos onde quer que fôssemos, está maculada por esse descontrole no controle central, essa inércia na execução, essa incapacidade de gestão, esse inferno em que se transformou a vida no Brasil nos últimos anos. Prova de resistência tem disso?

É.… viver no Brasil agora é a maior das provas de resistência, talvez não similar aos judeus em campos de concentração ou confinados em sótãos por anos a fio…. Não chegamos a esse ponto… ainda. Mas as ameaças de confinar nossa liberdade de expressão e de pensamento vira e mexe aparecem veladas ou escancaradas, porém nunca punidas como deveriam ser.

Não é por acaso que “na barriga da miséria nasci brasileiro” e que cantamos por muitos anos “Deus dará, Deus dará, e se Deus não dá, ó nega? ” Parece que Deus se cansou de nos dar e de nada adiantar. E por isso permaneceremos aqui, nessa inconcebível e absurdamente inimaginável prova de resistência que estamos enfrentando para permanecermos vivos com um mínimo de dignidade.

Eliane Sanches Querino

É diretora executiva da Know How. Professora de inglês e empresária. É líder e uma das fundadoras do Grupo Mulheres do Brasil.

2 Comentários

  1. Eliane Sanches Querino, as falhas morais do caos administrativo do País a impulsionam a escrever com aguçada sagacidade, se é que isso seja crível. Incorporando São Tiago, você aumenta em mim a confusão de tentação com provação.
    Os governantes nos convidam à revolta, temendo-a; testando a nossa fé na Democracia, tremem por saberem que o Brasileiro não desiste. Aqui não é provação. É provocação deles! Se quis dizer assim, eu acredito.
    A FF está orgulhosa de você, líder por excelência!

  2. Existem pessoas que capita no fundo da alma o nosso desejos expressão real ,mediante determinadas situações,em especial essa querida que descreveu com tanta clareza e conciencia de vida ,sua explanação e comparação da vida real com a fictícia entre aspas,foi magnífica,estamos vivendo em constante provas de fogo só chegarão na final,quem não desistir de ter fé,resiliência,respeito ao próximo e imparcialidade política ,ainda assim muitos passarão pelas provas do Anjo oi do monstro(morte).Parabéns pela coluna, diga-se de passagem ,muito bem escrita e descrita ,sucesso querida Eliane Quirino.

  3. Sempre bom ler seus textos, Eliane! Good writing is sexy, mesmo quando se presta a denunciar os absurdos que se multiplicam na nossa cara.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo