Opiniões

A Metamorfose do Sistema Bancário

Por Edson Roberto dos Santos

Bancário desde 1978, tive a oportunidade de vivenciar a gigantesca transformação que sobreveio no sistema bancário brasileiro. Na década de 1980, nossa categoria era estimada em cerca de 1.000.000 (um milhão) de bancários em todos o país.

Segundo dados do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (DIEESE), em 1990 eram 732 mil bancários no país. Ainda segundo o DIEESE, em 2018 esse número remontava 450 mil trabalhadores diretos (excetuando-se os terceirizados), um corte de 282 mil vagas em 28 anos.

Com a automação bancária, o mercado de trabalho nos bancos sofreu o primeiro impacto com o autoatendimento. Seguido dos serviços realizados pela internet e celulares. E, por derradeiro, outros seguimentos passaram a fazer serviços bancários, tais como as lotéricas, cooperativas e as Fintechs.

Vale ressaltar agora o advento da pandemia causada pela Covid-19. As economias mundo afora estão sendo trituradas. Aos mais de 62 anos de idade, obviamente, não vivi as épocas da gripe espanhola, como também nenhuma das duas grandes guerras mundiais. Mas, tristemente sou informado que a sobredita pandemia já matou mais gente que as três eventualidades juntas.

É neste contexto que se destaca o brilhante trabalho da categoria bancária nesse momento tão difícil, assim como os trabalhadores da linha de frente na área da saúde, com ênfase aos pagamentos dos auxílios emergenciais e o atendimento ao agronegócio, setor que alimenta o mundo e segura nossa balança comercial.

Destaco ainda a grande alteração na forma do atendimento bancário, com grande redução no atendimento presencial e com metade da categoria trabalhando em casa no sistema home office. Mesmo com todas essas dificuldades impactantes e mudanças na vida dos bancários, nutro muita confiança nessa categoria que orgulhosamente represento. E, como bancário de profissão, economista de formação e sindicalista de atuação, tenho certeza que unida, essa grande categoria haverá de continuar, firme, forte e orgulho do povo brasileiro.

Edson Roberto dos Santos é presidente do Sindicato dos Bancários de Franca e Segundo Vice-Presidente da Confederação Nacional dos Trabalhadores nas Empresas de Crédito-CONTEC.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo