Opiniões

Relacionamentos

Osho tem uma forma bem peculiar de falar sobre relacionamentos. Ele diz que na vida não podemos falar em relacionamentos, porque relacionamento é algo pronto, fechado, acabado, o que não acontece jamais entre dois seres
humanos. No instante em que você achar que o relacionamento está pronto, no instante em que guardá-lo em uma caixinha e achar que ele não precisa mais de manutenção, ele estará condenado à morte.

A vida é um eterno relacionar-se, que como a água de um rio está sempre fluindo, sempre em movimento, sempre se renovando, se descobrindo, se transformando. Você não consegue segurar a água fechando as suas mãos, ela
simplesmente fluirá por entre os seus dedos, mas se você manter a mão aberta em forma de concha conseguirá manter a água ali. Não se pode forçar ninguém a te amar, a permanecer, a ficar, nós somos eternos semeadores e quem decide quando as sementes brotarão não somos nós, plantar esperando a colheita imediata é uma imaturidade emocional, fadada a nos frustrar e decepcionar.

Quando alguém nos ama verdadeiramente nunca será por algo que fizemos, mas por aquilo que somos. Não é o fazer que produz o amor, embora ele seja sim uma das circunstâncias que conduzirão ao amor. Se alguém te ama pelo que você tem, faz ou aparenta ser, o que será deste amor quando esses fatores não existirem mais? Quantos relacionamentos na sua vida sobreviveriam quando a conveniência deixasse de existir? Quando você não tivesse mais nada a oferecer?

Vivemos em um mundo de aparências, de máscaras, onde todo mundo quer parecer ter uma vida incrível e chamar a atenção dos demais, e fazemos tanto esforço para parecer que simplesmente esquecemos de ser. Nosso foco no mundo exterior deixou nosso interior oco, vazio, mal cuidado, por isso todo mundo vive com medo de se aprofundar no outro, porque tem medo de que o outro descubra que além da bela casca existe um interior vazio. Ao invés então de enriquecermos nosso interior para ter o que compartilhar, preferimos manter apenas a casca bonita e evitar a todo custo qualquer um que possa ousar querer mergulhar fundo em nossa alma. Por isso toda essa fragilidade que as pessoas enfrentam nos relacionamentos, porque é ego lidando com ego.

Jamais seremos felizes sem aprendermos a mergulhar fundo em nós mesmos, abrir as portas do porão do nosso coração e deixar a luz entrar, fazer uma faxina e conhecer o que habita lá e que tanto evitamos. Quando restaurarmos nosso relacionamento conosco mesmos, estaremos prontos para lidar com o outro além da fina camada das aparências exteriores, poderemos lidar com o outro de coração para coração, de alma para alma. Neste dia finalmente entenderemos que somos muito mais do que as coisas que queremos mostrar que temos, muito mais que nossas disputas frágeis de egos, somos cidadãos do universo, filhos das estrelas habitando a grande mãe Terra, em uma jornada de autoconhecimento para restaurarmos em nós aquilo que há de mais puro e divino, transmutando nosso velho eu na nossa melhor versão, aquela que sempre estivemos procurando.

Denis Carvalho

É orador, Terapeuta Holístico, escritor e pós-graduando em Inteligências Múltiplas e Mindfulness. É entusiasta há mais de quinze anos do estudo de religiões e espiritualidade, do contato entre o humano e o divino e da busca por autoconhecimento.

Um Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos relacionados

Verifique também
Fechar
Botão Voltar ao topo